Revista D&A – Decoração e Arquitetura – Revista Digital

Novidades

Curta nossa fanpage

10 DICAS DE COMO APROVEITAR AS LIQUIDAÇÕES PARA RENOVAR A DECORAÇÃO DA CASA

Sempre nos primeiros meses do ano, as lojas especializadas, grandes polos de decoração, shoppings e varejo promovem liquidações em suas peças, e no setor de arquitetura, design e decoração não seria diferente. Os especialistas dos escritórios Cipriano Paffi ArquiteturaMarcus Paffi –, In House DesignersAndréa Bugarib – e KTA ArquiteturaAna Cristina Tavares – listam sugestões de como podemos nos beneficiar com os descontos oferecidos nessa época e evitar surpresas desagradáveis nas compras. Vejam:

1 – PLANEJAMENTO

Sem organização e foco, nenhuma obra terá sucesso. Antes de sair às compras, é necessário ter em mente o que é importante. As principais perguntas a serem feitas nessa etapa são: Quais os tipos de móveis adequados? Qual a quantidade de materiais necessários? Qual o valor estipulado para gastos com as compras?

2 – OPORTUNIDADE

Além de ser uma época de baixa para o comércio, o momento reflete a época em que as lojas precisam renovar os estoques. “Os descontos podem ser feitos devido à troca de coleção ou por alguns modelos estarem saindo de linha. Tais peças devem ser ofertadas por um valor bem menor em comparação àquelas que ainda estão em campanha”, afirma o arquiteto Marcus Paffi, do Escritório Cipriano Paffi.

3 – QUALIDADE E TAMANHO

Geralmente, os erros mais comuns dos clientes estão relacionados ao tamanho dos móveis, acabamentos inadequados ou produtos de baixa qualidade.“É preciso analisar bem, pois não se deve comprar apenas pela beleza. Uma escolha errada pode afetar a durabilidade dos móveis, a circulação e bem-estar dos moradores, assim como o armazenamento de alimentos e objetos”, alerta Andréa Bugarib, da In House Designers de Interiores.

4 – NÃO PERDER A ESSÊNCIA

Também é necessário tomar cuidado para que as mudanças não interfiram no conceito original do projeto, que pode acabar tirando a personalidade do ambiente. “Na compra por impulso, muitas vezes o cliente escolhe peças que não tem a ver com o estilo pessoal, nem do projeto da casa. Sempre avalie se o produto se encaixa no contexto”, recomenda Ana Cristina, do escritório KTA.

5 – DEFEITOS

Neste caso, será necessário avaliar a questão com muito cuidado. “Se o defeito não comprometer o uso/funcionamento do produto, ou se for apenas uma avaria estética, por exemplo, um risco pequeno em um móvel, pode ser que compense. Tais situações devem ser observadas caso a caso, para verificar se o desconto vale realmente a pena”, ressalta o arquiteto Marcus Paffi.

6 PERÍODO DE OBRAS

Se o projeto ainda está na fase inicial, Andréa Bugarib, da In House, orienta que o ideal seria aguardar para fazer as compras depois, em razão dos gastos com materiais de construção. Porém, reconsidera, “se houver um móvel ou peça muito significativa à venda, ou uma promoção muito boa, você comprar antecipadamente e deixar guardado na própria loja, se possível, ou em outro local de confiança, até a obra terminar”, conclui.

7 – MÓVEIS PLANEJADOS

“Sem dúvida, os móveis planejados estão entre os maiores custos da obra. Portanto podemos aproveitar essa época de promoções para a compra”, lembra Marcus Paffi. Porém, é necessário tomar cuidado com prazo de entrega, tamanho, tipo de materiais e acabamentos dos móveis planejados, principalmente se tratando em troca de showroom.

8 – LOJAS FAMOSAS

Quem adora produtos de lojas renomadas, ou até de grifes internacionais deve aproveitar para comprar. “Há peças bem interessantes em promoção, parte delas até de lojas de produtos importados, e que costumam ser bem mais caros em épocas normais”, explica Andréa Bugarib.

9 – REPUTAÇÃO E PAGAMENTO

Outro erro bastante habitual dos clientes está na escolha da empresa, que pode fazer com que “o barato acabe saindo caro”. “Procure lojas com boa reputação, idôneas no mercado. A pesquisa pode ser feita por meio da internet, redes sociais e contatos de confiança. Caso a entrega do produto seja futura, o ideal é deixar uma parte do pagamento para após o recebimento” lembra o arquiteto Marcus Paffi.

10 – AJUDA DE UM ESPECIALISTA

Se possível, faça a visita à loja ou showroom com o arquiteto ou designer responsável pelo projeto. “O profissional tem a habilidade de enxergar o todo e conseguirá mudar ou adaptar algo para que a oferta se encaixe nos planos”, finaliza a arquiteta Ana Cristina Tavares.

Mais informações: www.kta.com.br | www.ciprianopaffi.com.br | www.inhousedesigners.com.br
Fonte: Assessoria | dc33 Comunicação

Mais novidades